quarta-feira, 22 de abril de 2015

Resenha #63 - Filhos de Lilith - O Despertar + Parceria Madras Teen

Postado por Diarios De Leitura - quarta-feira, abril 22, 2015 - com 23 comentários
Oi, lindezas!
Tenho outra novidade super bacana pra vocês: o blog também fechou parceria com a editora Madras Teen \o/

Com 19 anos de existência, a Madras Editora é a maior editora holística, maçônica e que recentemente atingiu o mercado Rock, Pop) e Umbanda, sempre investindo em lançamentos que agregam valores aos leitores, trazendo o que há de melhor no mercado mundial para contribuir continuamente para o crescimento intelectual, cultural, filosófico e espiritual da humanidade.

No ano de 2015, ela aposta também em livros de ficção, com a criação de dois novos selos, sendo eles: Madras Teen, especializado em Literatura Fantástica, voltada para o público jovem, e o Madras Hot, voltado para o público feminino, com livros de romance dos gêneros Chick-Lit e erótico.

Para começar, a editora cedeu o exemplar de Filhos de Lilith - O Despertar, da autora nacional Elaine Velasco.

Ficha Técnica
Título Original: Filhos de Lilith - O Despertar
Autora: Elaine Velasco
Editora: Madras Teen
Páginas: 162
ISBN: 978-85-370-0946-8

Resenha
Alice está num quarto, mas não consegue se lembrar de quem é. Lembra apenas que foi sequestrada por Alejandro, mas de alguma forma conseguiu escapar. Ela está na casa de Carlos, um antigo amigo do colégio com quem havia perdido o contato. Seus sentidos estão mais aguçados, a luz do sol machuca seus olhos e o cheiro de comida a deixa enjoada. Ela sabe que tem algo acontecendo com seu corpo, mas não consegue identificar o que é. 

Entretanto, as coisas na casa de Carlos não vão bem e ela decide fugir para São Paulo, onde encontra Carol, que parece ser a única pessoa que pode dizer o que está acontecendo com Alice. A partir daí sua vida muda completamente e as duas viram super amigas, para juntas enfrentarem o grande mal que está por vir e que, por algum motivo, parece envolver a irmã de Alice.

Eu gostei muito do enredo, apesar da capa dar uma dica do tema, me surpreendi em alguns pontos. Alice está perdida e Carol irá ajudá-la de muitas formas, a amizade que elas criam é muito bonita. A diagramação está uma graça e confesso que me surpreendi positivamente nesse quesito. O livro é curtinho, menos de 200 páginas e fez com que eu lesse numa sentada só.

Veio com esse marcador super fofo!
Como muitos sabem, eu adoro fantasia e Filhos de Lilith - O Despertar me cativou bastante, porém preciso ressaltar que a narrativa não me agradou muito. Pareceu que a autora quis deixar as falas mais descoladas, ideia que eu achei bacana, mas na prática não gostei porque pareciam diálogos meio forçados. Talvez pode ser porque eu não esteja acostumada com narrativas assim, por isso me incomodou um pouco, mas nada que atrapalhasse a leitura. 

Outro ponto mais sério que gostaria de ressaltar é a opinião explícita da autora com relação ao aborto no livro. Na verdade, não sei se é a opinião dela ou se ela descreveu dessa forma para que incomodasse realmente as pessoas, e assim todos pudessem ver com outros olhos. De qualquer forma, isso foi uma coisa que me incomodou demais, principalmente por eu ser feminista e ter meus valores baseados nisso. Quando li esse trecho, tive vontade de parar a leitura, mas pensei comigo mesma que não deveria deixar esse pequeno trecho estragar toda a experiência bacana do livro, por isso continuei e não me arrependi. 

Sem mais delongas, gostei do livro, o final me deixou roendo as unhas e mal posso esperar pela continuação. Recomendo a leitura, precisamos incentivar nossos autores nacionais, né? :)





terça-feira, 7 de abril de 2015

Resenha #62 - A Mais Pura Verdade + Parceria Novo Conceito

Postado por Diarios De Leitura - terça-feira, abril 07, 2015 - com 1 comentário
Oi, gente!
Tenho uma notícia muito legal pra vocês, embora alguns já saibam:  blog agora é parceiro da Novo Conceito! Uhul \o/ Estou suuuper feliz e creio que essa parceria será muito boa para ambos!
Bom, depois dessa notícia super bacana, vamos à primeira resenha da parceria.



Ficha Técnica
Título: A Mais Pura Verdade
Título Original: The Honest Truth
Autor: Dan Gemeinhart
Editora: Novo Conceito
Páginas: 224
ISBN: 9788581636337

Há alguns dias eu postei minhas primeiras impressões do livro A Mais Pura verdade, e até então eu havia gostado muito do dele, a narrativa me prendeu bastante, os personagens eram fofos, enfim, tinha tudo pra ser um livro que eu iria amar. Mas no final, não foi bem assim.

Relembrando, Mark é um garoto com uma doença em estado terminal. Seu sonho sempre foi escalar uma montanha, e num dia ele resolve sair de casa apenas com uma mochila e seu fiel cachorro Beau em busca dessa aventura. Ele enfrenta diversos problemas pelo caminho que o fazem questionar se vale mesmo a pena levar tudo isso adiante.
Paralelamente, temos a visão da Jessie, melhor amiga de Mark, sobre tudo o que está acontecendo, o desespero dos pais de Mark para encontrá-lo e a dúvida dela em contar ou não onde ele está.

Logo que o livro chegou aqui em casa, eu corri para terminar a leitura. E nas páginas seguintes, perdi um pouco da conexão que tive com o Mark ao decorrer dos primeiros capítulos. Não vou repetir do que se trata a história, porque o que escrevi nas primeiras impressões é realmente um resumo da trama toda, clique para ler. Aqui quero descrever minha experiência.

A diagramação está linda, a Novo Conceito arrasou nesse livro, os datelhes são lindos e têm tudo a ver com a jornada de Mark. A narrativa realmente é muito envolvente, tanto que eu terminei de ler em poucas horas, gostei muito de como o autor descreveu cada aventura enfrentada por Mark e Beau. Mas o final me decepcionou um pouco, talvez tenha me decepcionado pela metáfora que há nele, que é real demais, é como a vida é. 

Às vezes, temos que encarar algumas montanhas, temos altos e baixos. Às vezes chegamos ao topo, às vezes nem perto disso, mas o caminho vale a pena. Pelo caminho, encontramos pessoas que nos incentivam a continuar e também encontramos aquelas que tentam nos fazer desistir, e você precisa decidir se tem determinação suficiente ou não. Por fim, sempre temos um porto seguro. No caso de Mark, é seu cãozinho Beau, que o ajuda em todos os momentos da escalada. 

Talvez eu não tenha me identificado tanto quanto antes pelo fato de ser muito real e ao mesmo tempo ser totalmente ficção. Ok, e fica a dúvida: "Mas, Rayssa, você gostou ou não?". Sim e não haha, se for analisar somente a ficção, não me atraiu muito. Mas ao analisar as metáforas, vejo que elas têm muitos ensinamentos para passar e o Dan Gemeinhart soube mesclar isso muito bem com a história.

Enfim, com certeza levarei alguns ensinamentos de Mark comigo e se você gosta de uma boa aventura, com um toque de metáfora, recomendo que leia A Mais Pura Verdade :)